domingo, 19 de novembro de 2017

panorâmico



Já apanhei dias limpos e azuis, dias nublados, dias pálidos, dias de nevoeiro, dias ensonados, dias de calor e de frio, acho que só faltam os de chuva para a coleção ficar completa.
Na subida nem parece que estamos na cidade e no topo não temos dúvidas, é a vista mais bonita de Lisboa.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

terça-feira, 17 de outubro de 2017

street art

Galeria a céu aberto desde o Bairro Padre Cruz (Carnide) até ao Parque das Conchas (Lumiar). Fizemos esta caminhada em julho e foi muito difícil resumir tudo o que vimos em menos imagens.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

futuro

Quando começamos a encaixotar a nossa vida damos conta que guardamos tantas coisas que até nos esquecemos que as temos. Não sei se acontece com todos, mas comigo foi mesmo assim, um dia eram importantes no dia seguinte deixaram de o ser, tão simples quanto isto.
Até mesmo as que nos trazem boas recordações e outras que eventualmente um dia poderão ser úteis ficam para trás. É o desapego.

Não vale a pena guardar muito ou um bocadinho de cada coisa, rouba-nos tempo e puxam-nos para trás como se fossem um cordão invisível atado à perna, quando o que mais precisamos é andar para a frente. O importante andará sempre connosco, a frase está certa.

O verão não foi fácil e abandonei os registos no blogue para não dispersar, penso que agora seja o momento certo para retomá-los e talvez ainda acrescentar uns poucos que ficaram só pelo instagram.

E o primeiro, é que voltei ao meu bairro para começar de novo.


sexta-feira, 4 de agosto de 2017

dias de verão

Associar os pequenos jardins aos meus dias — dia do Bairro Padre Cruz, dia do meu 43º aniversário e o dia das ameixas doces.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Plantas e Povos

A exposição está patente no Muhnac e mostra um registo do conhecimento popular no uso das plantas para os mais diversos fins tendo em conta a localização geográfica onde essa flora existe e os povos que habitam — desde o uso dos búzios e mezinhas pelos rituais dos curandeiros aos instrumentos musicais, passando também pelo uso de plantas para objectos do quotidiano.

Imagens: cabeleira e colar de curandeiro, esponja-vegetal (luffa - usada também como esfregão), pentes, mala e cigarrilhas de folha de palmeira (Timor-Leste)



sexta-feira, 21 de julho de 2017

na loja online

Estão reunidos na loja online alguns exemplares dos dois últimos colares que tenho mostrado — colar Festa e colar Argolas.